LOGIN TO YOUR ACCOUNT

Username
Password
Remember Me
Or use your Academic/Social account:

CREATE AN ACCOUNT

Or use your Academic/Social account:

Congratulations!

You have just completed your registration at OpenAire.

Before you can login to the site, you will need to activate your account. An e-mail will be sent to you with the proper instructions.

Important!

Please note that this site is currently undergoing Beta testing.
Any new content you create is not guaranteed to be present to the final version of the site upon release.

Thank you for your patience,
OpenAire Dev Team.

Close This Message

CREATE AN ACCOUNT

Name:
Username:
Password:
Verify Password:
E-mail:
Verify E-mail:
*All Fields Are Required.
Please Verify You Are Human:
On Thursday 28/09/2017 and Friday 29/09/2017 due to system maintenance you might experience some downtimes to claim, search and validator services that will also affect the portal. We apologize for the inconvenience.
fbtwitterlinkedinvimeoflicker grey 14rssslideshare1
Publisher: Actas do Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas
Journal: Actas do Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas
Languages: Portuguese
Types: Article
Subjects: Web 2.0; Biografias; Redes sociais; Comunicação; Divulgação científica
“A emergência de novos paradigmas na sociedade obriga a uma reflexão aprofundada sobre o seu significado social e cultural, a uma tarefa de reequacionamento sobre o conhecimento e a sua organização.” (Borges, 2002, p. 15). Desde sempre, o Homem teve a necessidade de organizar e representar a informação para que, quando necessitasse dela, pudesse facilmente aceder à mesma e recuperá-la. Com o crescimento extraordinário de informação (Burke, 2007) - nomeadamente a científica - ocorrido durante e após a Segunda Guerra Mundial, fruto da fundação de um grande número de institutos de pesquisa, programas de doutoramento, investimentos de fundos públicos e privados na investigação científica e a criação de bases de dados específicas, houve a necessidade de um maior investimento na investigação da área da organização e representação da informação, “uma das três áreas de investigação da Ciência de Informação” (Silva, 2006, p. 141). Destacam-se alguns trabalhos realizados por autores como Herner, Shera & Cleveland, Anthony Debons, Marcia Bates, Brian Vickery e F. W. Lancaster[1]. A Web 2.0, os seus utilizadores e a Net generation, trouxeram, por sua vez, uma nova filosofia participativa, cooperativa, com base na inteligência coletiva e de forma livre, com a internet como plataforma. O termo Web 2.0 tornou-se mais conhecido após a 1.ª conferência “O’Reilly Media Web2.0” em 2004 embora o seu significado e essência sejam ainda tema de controvérsia. Segundo autores como Frankelin e von Harmelen (Virkus, 2008, p. 263) a Web 2.0 é tecnologia, enquanto que para Guntram, a mesma trata-se da 2.ª geração de serviços e ferramentas Web. Contudo, para outros autores como Downes (2005), são plataformas comunitárias onde a revolução social impera à revolução tecnológica pois os serviços e as ferramentas que a Web 2.0 disponibiliza são de comunicação, colaboração, ligação, partilha e democratização de informação, fomentando o desenvolvimento de redes sociais onde a informação é vista, usada e reutilizada, numa constante dinâmica de intercâmbio. De acordo com Pierre Levy (1997), a informação social, impulsionada pela Web 2.0, passou a usar novos meios, formas de produção, receção e comunicação, num novo espaço, o ciberespaço. A rápida adesão do público a redes sociais, fomentada pelo uso das novas tecnologias, alterou o papel do utilizador que passa a ser eminentemente ativo. Para comunicar e interagir com um maior número de utilizadores as bibliotecas recorrem a plataformas Web 2.0. Os Serviços de Biblioteca, Informação Documental e Museologia da Universidade de Aveiro não fogem a esta regra e utilizam o Youtube, Blogue, Netvibes, Facebook, Twitter, Slideshare e ISSUU. Neste contexto o presente poster tem como objetivo apresentar o uso de ferramentas Web 2.0 na divulgação das coleções dos SBIDM[2]. A ferramenta selecionada permite divulgar através de timeline as biografias e outras informações relevantes dos doadores de importantes espólios e acervos pessoais que integram as coleções dos SBIDM e ainda os percursos literários de autores de obras publicadas pela UA Editora.O facto da plataforma Dipity disponibilizar a integração de georreferenciação e a inclusão de vários formatos multimédia na descrição temporal dos acontecimentos, possibilitar a inclusão de hiperligações a catálogos, objetos digitais e outras páginas Web assim como a partilhar a timeline nas redes sociais, contribuem para uma maior divulgação e promoção das coleções e da produção científica da UA.[1] De acordo com Hutchins (1978), apesar da sua pesquisa se ter iniciado na década de 60, foi o autor mais citado entre a década de 70 e inícios da década de 90 (Qin, 2008).[2] Serviços de Biblioteca, Informação Documental e Museologia
  • No references.
  • No related research data.
  • No similar publications.

Share - Bookmark

Cite this article