LOGIN TO YOUR ACCOUNT

Username
Password
Remember Me
Or use your Academic/Social account:

CREATE AN ACCOUNT

Or use your Academic/Social account:

Congratulations!

You have just completed your registration at OpenAire.

Before you can login to the site, you will need to activate your account. An e-mail will be sent to you with the proper instructions.

Important!

Please note that this site is currently undergoing Beta testing.
Any new content you create is not guaranteed to be present to the final version of the site upon release.

Thank you for your patience,
OpenAire Dev Team.

Close This Message

CREATE AN ACCOUNT

Name:
Username:
Password:
Verify Password:
E-mail:
Verify E-mail:
*All Fields Are Required.
Please Verify You Are Human:
fbtwitterlinkedinvimeoflicker grey 14rssslideshare1
Melo, Priscilla Gonçalves de (2012)
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Languages: Spanish; Castilian
Types: Master thesis
Subjects: Músculos do tronco, Função respiratória, Acidente Vascular Encefálico, Mobilidade do Tronco
Avaliar os músculos e a mobilidade do tronco de indivíduos hemiparéticos crônicos e comparar com indivíduos saudáveis de mesma faixa etária e verificar sua relação com a força muscular respiratória e a espirometria. Material e Métodos: Estudo observacional, com comparação de dois grupos, onde foram avaliados 20 hemiparéticos crônicos e 20 indivíduos saudáveis. Foram avaliadas a força muscular respiratória (PImax e PEmax), e a esperiometria (CVF, VEF1, média do fluxo expiratório forçado entre 25% e 75% - FEF25-75% e o Pico de Fluxo Expiratório - PFE). Foi mensurada a força dos músculos extensores e flexores (anteriores e laterais) do tronco, e mobilidade do tronco (flexão anterior, flexão lateral e extensão). Resultados: O grupo de hemiparéticos foi composto de 10 homens e 10 mulheres e o grupo de indivíduos saudáveis oito homens e 12 mulheres. Os hemiparéticos, quando comparados ao grupo de saudáveis, apresentaram diferenças significativas nas variáveis PImax (p<0,0001), PEmax (p<0,0001), VEF1 (p=0,01), PFE (p=0,02), e FEF25-75% (p=0,03). Da mesma forma, as medidas de força muscular e de mobilidade do tronco dos hemiparéticos apresentaram valores inferiores significativamente. Correlações positivas e significativas foram encontradas entre as medidas de força dos músculos extensores do tronco com a PEmax (rs=0,53; p=0,02), VEF1 (rs=0,52; p=0,02) e capacidade vital forçada - CVF, (rs=0,58; p=0,01). Já a força de flexão lateral do lado não parético se correlacionou com as medidas de PEmax (rs=0,63; p=0,01), CVF (rs=0,48; p=0,03), VEF1 (rs=0,48; p=0,03), PFE (rs=0,51; p=0,02) e FEF25-75% (rs=0,54; p=0,01). Também foram observadas correlações positiva entre a mobilidade de extensão do tronco com a PEmax (rs=0,45; p=0,02) e entre a mobilidade de flexão anterior com a CVF (rs=0,46; p=0,04). Conclusão: indivíduos pós AVE apresentam diminuição das medidas de força muscular e mobilidade do tronco e da função pulmonar. Correlações positivas entre medidas de força muscular e mobilidade do tronco com a função respiratória foram observadas. Sendo assim, para elaboração de programas de tratamento, faz-se necessário a inclusão da avaliação do segmento do tronco e função respiratória como rotina clínica para subsidiar na reabilitação destes indivíduos.
  • No references.
  • No related research data.
  • No similar publications.