LOGIN TO YOUR ACCOUNT

Username
Password
Remember Me
Or use your Academic/Social account:

CREATE AN ACCOUNT

Or use your Academic/Social account:

Congratulations!

You have just completed your registration at OpenAire.

Before you can login to the site, you will need to activate your account. An e-mail will be sent to you with the proper instructions.

Important!

Please note that this site is currently undergoing Beta testing.
Any new content you create is not guaranteed to be present to the final version of the site upon release.

Thank you for your patience,
OpenAire Dev Team.

Close This Message

CREATE AN ACCOUNT

Name:
Username:
Password:
Verify Password:
E-mail:
Verify E-mail:
*All Fields Are Required.
Please Verify You Are Human:
fbtwitterlinkedinvimeoflicker grey 14rssslideshare1
Silva, Cacio Costa da (2012)
Languages: Portuguese
Types: Master thesis
Subjects: Atividade física, Qualidade, Hemoglobina glicada, Diabetes melito tipo 2, Ciências da Saúde
Introdução: O diabetes melito é um grupo de doenças metabólicas caracterizadas por hiperglicemia e associadas a complicações em vários órgãos, especialmente olhos, rins, nervos, cérebro, coração e vasos sanguíneos. A atividade física (AF) é definida como qualquer movimento corporal realizado pelos músculos esqueléticos que resulta em gasto energético acima dos níveis de repouso. A qualidade de vida (QV) é definida como a percepção do indivíduo sobre a sua posição na vida, no contexto sociocultural, que considera seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações, estando relacionada com o bem-estar pessoal e abrangendo aspectos como o estado de saúde, lazer, hábitos e estilo de vida. A prática regular da AF está associada ao melhor controle glicêmico e a melhora da QV do paciente com DM2. Objetivos: Investigar a associação entre atividade física habitual e qualidade de vida em adultos com diabetes melito tipo 2; e Avaliar a associação entre hemoglobina glicada (HbA1c), índice de massa corpórea (IMC), circunferência abdominal (Cabd) e qualidade de vida em adultos portadores de DM2. Métodos: Estudo epidemiológico de corte transversal, sem grupo de comparação e natureza quantitativa, envolvendo uma amostra de conveniência, constituída por 93 pacientes com diagnóstico de DM2. Os indivíduos selecionados foram submetidos a um questionário e a uma avaliação sóciodemografica, avaliação dos níveis de atividade física (IPAQ) e avaliação da qualidade de vida (DQUOL Brasil). A avaliação da contribuição das variáveis independentes sobre a qualidade de vida foi realizada pelo modelo de regressão de Poisson. O Akaike Information Criterion (AIC) foi utilizado para a verificação da bondade de ajuste. Para a realização dessa modelagem as variáveis foram dicotomizadas da seguinte maneira: qualidade de vida (= ou < 0 para insatisfeito, = ou > 0 para satisfeito), IMC (alterado, normal). O coeficiente de concordância de Lin, foi utilizado para verificar da concordância entre IMC e HbA1c e circunferência abdominal e HbA1c. Resultados: Dos 93 participantes 27 foram homens com média de idade de 63 anos (DP: ±10,9; variação: 43-81 anos) e 66 mulheres com média de idade de 61,5 anos (DP: ±10,6; variação: 37-87 anos). Apenas 30,2% dos participantes apresentavam valores glicêmicos dentro da normalidade. Em relação a HbA1c, apenas 12,9% tinham valores normais. Esses dados demonstram uma alta prevalência de indivíduos portadores de DM2 que não conseguem controlar seus valores glicêmicos. Demonstrou-se que a qualidade de vida - QV do diabético piora quando existe uma redução nos níveis de atividade física habitual, mensuradas pelo IPAQ e elevação nos níveis de IMC, HbA1c, Cabd e uso de álcool. Conclusão: Observa-se insatisfação dos diabéticos com sua QV, considerando a atividade física habitual como variável independente. Adicionalmente, observa-se prevalência elevada de diabéticos com IMC e Cabd acima dos valores recomendados; com níveis aumentados de glicemia e HbA1c e prevalência elevada de sedentarismo.